Super-heróis dos supermercados: abastecimento de PDV no meio da Pandemia do Coronavírus

Super-heróis dos supermercados: promotores compartilhados têm sido vistos como os ”heróis anônimos” da Pandemia do Coronavírus.

Como trabalhadores corajosos estão sendo comparados a bombeiros que enfrentam incêndios florestais e enchentes.

Os trabalhadores dos supermercados estão ficando conhecidos como os “heróis anônimos” do surto de coronavírus após o trabalho dia e noite para manter prateleiras empilhadas para ajudar milhões de australianos através da crise.

A cadeia vai desde os funcionários fixos até os promotores compartilhados, que são os repositores terceirizados cuja demanda aumentou com a pandemia.

À medida que as autoridades vão restringindo a circulação da população, os supermercados vão recebendo mais gente em busca de compor seus estoques mínimos durante a crise histórica. O consumo acaba aumentando irremediavelmente por vários motivos: sensação de necessidade de estocar, aumento da demanda doméstico pela reclusão, entre outros.

As famílias estão em fila há horas fora das lojas em todo o país para colocar as mãos nos produtos essenciais ao dia-a-dia, temendo que em breve possam ser infectadas ou colocadas em quarentena sem previsão de liberação à medida que o vírus se espalha.

Histórias de heróis cotidianos estão aparecendo em todo o mundo, como funcionários altruístas trabalham horas extras para ajudar a entregar compras.

Abrir supermercados em horários alternativos ou estabelecer horários especiais para idosos
Em alguns países como a Austrália, medidas especiais estão sendo criadas nos supermercados para dar conta da demanda e aumentar a biossegurança. Coles e Woolworths, supermercadistas do país, anunciaram a abertura de suas lojas uma hora mais cedo para permitir o acesso especial de idosos ou australianos vulneráveis aos produtos para que eles não tenham que lutar contra as multidões.

Em Southland, Melbourne,repositores trabalham incansavelmente reabastecendo prateleiras para se preparar para “hora dos idosos”.
Centenas de clientes ficam em fila de espera para garantir que terão acesso especial, e uma vez dentro da loja os compradores parecem felizes e relaxados enquanto enchem os seus carrinhos.

Aumenta a demanda por promotores compartilhados e repositores
Os repositores e promotores dos supermercados foram comparados aos bombeiros durante a crise incendiária, pois lidam com centenas de pessoas por dia, sem saber se estão infectados com coronavírus. Alguns setores não param e o abastecimento é um dos pontos críticos em uma crise. Produtos de maior demanda como insumos básicos, higiênicos e o tão procurado álcool gel devem estar dispostos de maneira fácil e estratégica.

Além do aumento da demanda pelos promotores compartilhados, houve aumento da carga horária dos mesmos.
Muitos vão trabalhar contra a vontade de suas famílias durante a crise do coronavírus. É uma situação semelhante aos bombeiros que arriscaram a vida durante os incêndios.’

Alguns funcionários ainda precisam lidar com ataques e abusos verbais de clientes descontrolados desesperados para abastecer suas dispensas.

O sentido de trabalho comunitário
Algumas categorias de maior demanda se vêem na obrigação moral de aumentar suas equipes locadas em repor prateleiras. É uma questão humana e ao mesmo tempo de ordem pública, posto que uma boa parte das pessoas se vêem descontroladas diante da situação.

Os promotores compartilhados recebem treinamentos específicos para lidar com a situação e vem fazendo um ótimo trabalho em condições “incríveis e extremas” porque assim que eles desempacotam o estoque para as prateleiras os produtos desaparecem rapidamente”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *